Bem vindo ao Alhandra em Foco, 24 de Agosto de 2017
Facebook do Alhandra em Foco Twitter do Alhandra Alhandra em Foco no Youtube Instagram do Alhandra em Foco Zap do Alhandra
31 jul 2017 às 9:33 am

Bancada da PB segue dividida para votação da denúncia contra Temer; três a favor, três contra e seis indecisos

Dos 12 deputados federais pela bancada da Paraíba, apenas três já declararam publicamente que são favoráveis a denúncia da Procuradoria Geral da República, para investigar o presidente Michel Temer (PMDB), são eles: Veneziano Vital (PMDB), Pedro Cunha Lima (PSDB) e Luiz Couto, do PT.

Outros três parlamentares fazem o caminho inverso e já declararam publicamente o contrário, ou seja, que vão salvar o presidente e evitar que ele seja investigado por crime de corrupção. Os que são a favor de Temer são os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP), André Amaral (PMDB) e Hugo Motta (PMDB).

Já a outra parte da bancada segue indecisa. Mesmo com alguns integrando a base governista, eles ainda não sabem se apoiam a denúncia ou se serão contra a investigação do peemedebista.

Faltam decidir:

Benjamin Maranhão (SD)

Damião Feliciano (PDT)

Efraim Filho (DEM)

Rômulo Gouveia (PSD)

Wellington Roberto (PR)

Wilson Filho (PTB)

A DENÚNCIA

As acusações do Ministério Público contra Temer têm como base a delação premiada dos executivos da J&F, controladora da JBS. Por se tratar do presidente da República, o Supremo Tribunal Federal (STF) só poderá analisar a denúncia se receber autorização da Câmara. Cabe aos deputados, no plenário da Casa, a palavra final sobre autorizar ou não a continuidade do processo no Poder Judiciário.

Para que a denúncia seja autorizada, ao menos 342 deputados terão que votar contra o parecer aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), do relator Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomenda a rejeição da denúncia. Na terça (1º), está prevista a leitura do parecer de Abi-Ackel no plenário da Câmara. O procedimento faz parte da tramitação na Casa e permitirá que a matéria entre na pauta de votação na quarta-feira.

Não é certo que a votação será na quarta, já que partidos da oposição, preocupados com uma possível vitória de Temer, avaliam não marcar presença em plenário. A mesma estratégia passou a ser estudada pelos governistas, o que pode inviabilizar a votação, que exige pelo menos 342 deputados registrados em plenário. Sessão

A votação da denúncia será nominal, com chamada dos deputados ao microfone, que responderão “sim”, “não” ou “abstenção”, no mesmo formato da votação do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.


PB Agora


Desenvolvido por Ricardo Alexandre