Branco compra discurso de ‘candidatas laranja’ e pede que 30% de mulheres não seja obrigatório

12 mar 2019

O deputado Branco Mendes (Podemos) se mostrou preocupado em relação à cota para os partidos terem até 30% de participação feminina obrigatória nas eleições. Ele alegou não é contra a cota, porém que não deveria ser obrigatório ir “atrás de candidatas”.

Em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação nesta terça-feira (12), Branco alegou que poderia ter as sete vagas para mulheres, mas que se elas não procurassem, a legenda não teria obrigação de buscar atingir a cota.

O parlamentar também comprou o discurso sobre candidatas laranja, alegando que muitas mulheres não queriam se candidatar e foram colocadas na eleição, onde tiraram 500 votos e receberam R$ 80 mil. “Para evitar isso, ficam reservados os 30%, desde que as mulheres apareçam”, disse.

Branco também disse que, no momento, a maior preocupação do país é a reforma da Previdência, alegando que é preciso uma reforma condizente com a realidade do país, para só depois estudar e fazer uma reforma política com decência e dignidade. “Do jeito que está, não atinge os nossos objetivos”, disse.

Marília Domingues/ Fernando Braz