Bem vindo ao Alhandra em Foco, 19 de Agosto de 2017
Facebook do Alhandra em Foco Twitter do Alhandra Alhandra em Foco no Youtube Instagram do Alhandra em Foco Zap do Alhandra
6 ago 2017 às 6:28 pm

Brasil bate a Itália e fatura o 12º título do Grand Prix

Um novo ciclo, com apenas três campeãs olímpicas – Adenízia, Tandara e Natália. Um time que nunca havia jogado junto. A eliminação bateu na porta duas vezes, mas o Brasil sobreviveu. E mostrou que essa nova geração pode ser tão vitoriosa quanto as anteriores. Neste domingo, em uma final emocionante contra uma jovem e talentosa Itália, o Brasil sofreu, se superou e venceu por 3 sets a 2, com parciais de 26/24; 17/25; 25/22, 22/25 e 15/8. É o 12º título do país na história do Grand Prix. O Brasil conquistou a competição em 1994, 1996, 1998, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2013, 2014, 2016 e agora, 2017, sendo o maior campeão da história do torneio. Foi, ainda, vice-campeão em outras cinco oportunidades. Os Estados Unidos, com seis conquistas, são o segundo maior campeão da história.

Na final, o Brasil teve dificuldade com a jovem Paola Egonu, de apenas 18 anos. A italiana fez 29 pontos. Mas sentiu a pressão dos momentos mais decisivos da partida. Já a Seleção encontrou nas experientes Natália (22 pontos) e Tandara (22 pontos) a base nos momentos mais difíceis da partida. A dupla foi fundamental na conquista.

– A equipe teve atitude. Sabíamos que não seria fácil. Tivemos altos e baixos, mas jogamos com muita raça. Estou muito feliz. Um beijo para todo o Brasil – disse Tandara.

 Após a partida, Natália foi eleita a MVP do Grand Prix. Ela e Bia entraram para a seleção do Grand Prix. As chinesas Zhu e Ding, as sérvias Rasic e Boskovic e a italiana De Gennaro completaram a equipe ideal da competição.
 A gente veio devagar e acabou chegando. Cada dia é um dia e fomos felizes. Não foram seis, não foram sete. Foram as 12 que jogaram muito bem e resolveram o problema. Estou muito feliz com esse título. Foi sofrido, mas conseguimos – disse Natália.
Globo Esporte 

Desenvolvido por Ricardo Alexandre