Corinthians vence, mas é eliminado pelo Guaraní em jogo com arbitragem polêmica

13 fev 2020

O Corinthians foi eliminado precocemente da Libertadores da América na noite desta quarta-feira, em Itaquera. O Timão venceu o Guaraní, do Paraguai, por 2 a 1, mas o resultado não foi suficiente para a classificação – no jogo de ida, em Assunção, os brasileiros perderam por 1 a 0.

Luan e Boselli fizeram os gols alvinegros, e Fernández diminuiu. A partida teve uma arbitragem polêmica do argentino Néstor Pitana. Os corintianos, que tiveram Pedrinho expulso ainda no primeiro tempo, reclamaram muito do critério de cartões adotado pelo árbitro e, principalmente, da falta de Gil em Bobadilla que originou o gol da classificação dos paraguaios.

A necessidade da vitória para classificar fez o Corinthians partir para o ataque logo de cara, mesmo que isso representasse certa exposição. Mas enquanto Fernández, na primeira chance do Guaraní, foi travado, Luan, aos oito, abriu o placar para o Timão, em chute de esquerda, de fora da área. O time paraguaio, aos 20, perdeu aquelas chances que não se pode perder em jogos decisivos. Redes, após rebote de Cássio, com o gol vazio, mandou por cima. A partir daí, pressão do Corinthians. Nem mesmo a expulsão de Pedrinho, aos 28, desanimou o Timão. Tanto que, aos 31, saiu o segundo gol. Love fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Boselli completar. Com um a mais em campo, o Guaraní ainda conseguiu encontrar espaço. E quase marcou aos 38, quando Cássio defendeu cabeçada de Benítez. O goleiro Servio, nos acréscimos, também salvou o Guaraní, em finalização à queima-roupa de Love. Pouco antes, Fagner tinha acertado o travessão em cobrança de falta.

A etapa final não começou bem para o Corinthians. O Guaraní complicou a vida do Timão logo aos sete minutos, quanto Fernández, em cobrança de falta, fez o gol do time paraguaio (Cássio foi mal na bola). A reclamação dos jogadores do time brasileiro foi que Gil não fez falta em Bobadilla, como marcou o árbitro. No tudo ou nada, o Corinthians partiu para a pressão. Boselli, impedido, teve boa chance. Gustagol também. Mas a melhor oportunidade foi em cobrança de falta de Luan. A bola raspou a rede pelo lado de fora e arrancou gritos de gol na arquibancada. As chances surgiram para o Timão, mas faltava alguém para conseguir concluir. Boselli teve boa bola na pequena área, mas foi travado. Depois, Gustagol não dominou bom passe Luan que o deixaria na cara do gol. A situação melhorou aos 40 minutos, quanto Romaña, do Guaraní, foi expulso. Logo na sequência, Fagner bateu colocado e obrigou Servio a fazer grande defesa. A pressão durou até o último minuto, mas não resultou na classificação.