Bem vindo ao Alhandra em Foco, 23 de Agosto de 2017
Facebook do Alhandra em Foco Twitter do Alhandra Alhandra em Foco no Youtube Instagram do Alhandra em Foco Zap do Alhandra
14 jul 2017 às 7:27 am

Flamengo perde, para o Grêmio, a invencibilidade na Ilha do Urubu

Nas mais recentes rodadas do Campeonato Brasileiro, o Flamengo estreou Rhodolfo e viu o impacto da chegada de Éverton Ribeiro, que busca aperfeiçoar seu entendimento com o restante do time. Nesta quinta-feira, foi a vez de Geuvânio fazer sua primeira aparição. E aguarda-se a possível chegada de Diego Alves para o gol.

O Corinthians, líder do campeonato, tem na estabilidade sua arma: sua equipe titular inteira iniciou o ano no clube e, junta, evolui coletivamente. É um ponto, embora não explique sozinho os 12 pontos que agora separam o Flamengo da liderança, após a derrota de ontem na Ilha do Urubu, por 1 a 0 para o Grêmio.

Afinal, o time rubro-negro tem uma base mantida da última temporada. E poderia, a esta altura de 2017, estar um nível acima, especialmente na parte ofensiva. Ontem, até teve mais finalizações perigosas do que o Grêmio, houve momentos em que o controle da bola correspondeu à criação de chances. Mas, em muitas passagens, foi refém de iniciativas individuais e de decisões precipitadas, algumas provocadas por falta de opções de passe. E, diga-se, houve individualidades rendendo menos do que o desejável. Quando uma delas é Diego, é natural o jogo se complicar.

Ainda que com características diferentes, Flamengo e Grêmio valorizam a bola e tentam progredir no campo através de trocas de passes. E durante 25 minutos, a bola até ficou no chão, mas raros eram os passes mais verticais, que atravessavam defesas. O jogo ficava mais no terreno das intenções, uma guerra fria.

Não é fácil para o Flamengo substituir Guerrero. E não só pela capacidade goleadora, mas por ser a referência em torno da qual o ataque gravita. É o alvo mais seguro dos passes, nem sempre para que conclua, mas para que segure a bola, aguarde a chegada do time e faça o trabalho de pivô. Leandro Damião não oferece este recurso com tanta qualidade.

Como o Grêmio se fechava bem e o Flamengo tinha pouca aproximação entre seus volantes e meias, não havia a sensação de que o gol estava próximo. O Grêmio é quem parecia à vontade. Tocava a bola, aparentemente reduzindo a marcha do jogo de forma deliberada. Mesmo quanto podia acelerar, não o fazia. Não finalizara com perigo até Luan passar por Márcio Araújo e, após contar com certa dose de sorte, chutar no canto de Thiago.

Curiosamente, a proximidade do intervalo viu o melhor momento do Flamengo no jogo. Com o time mais próximo, Éverton Ribeiro encontrou mais companhia e finzlizou duas vezes para Léo defender. Depois, Éverton acertou o travessão.

Não é fácil para o Flamengo substituir Guerrero. E não só pela capacidade goleadora, mas por ser a referência em torno da qual o ataque gravita. É o alvo mais seguro dos passes, nem sempre para que conclua, mas para que segure a bola, aguarde a chegada do time e faça o trabalho de pivô. Leandro Damião não oferece este recurso com tanta qualidade.

Como o Grêmio se fechava bem e o Flamengo tinha pouca aproximação entre seus volantes e meias, não havia a sensação de que o gol estava próximo. O Grêmio é quem parecia à vontade. Tocava a bola, aparentemente reduzindo a marcha do jogo de forma deliberada. Mesmo quanto podia acelerar, não o fazia. Não finalizara com perigo até Luan passar por Márcio Araújo e, após contar com certa dose de sorte, chutar no canto de Thiago.

Curiosamente, a proximidade do intervalo viu o melhor momento do Flamengo no jogo. Com o time mais próximo, Éverton Ribeiro encontrou mais companhia e finzlizou duas vezes para Léo defender. Depois, Éverton acertou o travessão.

Globo


Desenvolvido por Ricardo Alexandre