Secretaria de Saúde de Alhandra conclui com sucesso Dia D da vacinação contra gripe

13 maio 2018

O município de Alhandra concluiu com sucesso o Dia D de vacinação contra gripe, realizado através da Secretaria Municipal de Saúde. A campanha contra a influenza teve início nacionalmente no dia 23 de março, e o dia D aconteceu neste sábado, 12 de maio, onde foram traçadas várias estratégias para alcançar o público alvo a ser vacinado, dentre elas, equipes se dirigindo até as residências para aplicar vacinas. 

Foi disponibilizado pelo Ministério da Saúde 60% das doses para população de Alhandra que totalizam 2.215 doses aplicadas nos grupos prioritários determinados pelo Ministério. A meta a ser alcançada é de 90% da população dos grupos de riscos que totalizam o número de 3.419 doses.

A campanha de Influenza continua até o dia 01 de junho de 2018. 

Na zona rural do município foram realizados 957 doses e na zona urbana 1450 doses. 

A Secretária de Saúde, Albarina Kelly orienta a população sobre a extrema importância de todos os grupos descritos pelo Ministério da Saúde se vacinarem, e caso encontrem qualquer dificuldade ou problema, comunique-se com seu agente de saúde. 

“Na oportunidade, deixo meus agradecimentos as 8 unidades de saúde do município por incentivar as pessoas e mostrar a importância da campanha, além disso, meus agradecimentos no empenho que já alcançou 60% da meta determinada, com destaque para os profissionais que foram até as residências para realizar a vacinação, saindo em busca ativa nas comunidades e esse é um dos motivos de estarmos à frente dos demais municípios da primeira região. Sem o esforço de vocês nada disso seria possível”, disse a secretária.

Os grupos de risco (ou prioritários). São:

•Idosos a partir de 60 anos

•Crianças de 6 meses a menores de 5 anos

•Trabalhadores da saúde

•Professores das redes pública e privada

•Povos indígenas

•Gestantes

•Puérperas (até 45 dias após o parto)

•Pessoas com doenças crônicas (asma, diabetes…) ou com imunossupressão

Apesar de não ser uma doença letal na maioria dos casos, os grupos prioritários são mais suscetíveis a complicações. Caso sejam infectados, o vírus pode abrir espaço para condições sérias, como uma pneumonia, e até mesmo matar.

Portal do Litoral