Bem vindo ao Alhandra em Foco, 19 de Agosto de 2017
Facebook do Alhandra em Foco Twitter do Alhandra Alhandra em Foco no Youtube Instagram do Alhandra em Foco Zap do Alhandra
4 ago 2017 às 7:41 am

Sem Samu, homem ferido em acidente é transportando em cima de caminhão com maca de pedaço de madeira, em João Pessoa; veja vídeo

O servente de pedreiro José Ednaldo da Silva, 34 anos, sofreu um acidente de moto na tarde dessa quinta-feira (3), no Cidade Verde, no bairro Mangabeira 8, em João Pessoa. A família disse que o Samu demorou quase duas horas para socorrer o homem. Ele foi levado para o hospital em cima de um caminhão.

Imagens feitas pela família mostram quando José Ednaldo está caído no chão e sendo aparado por amigos e familiares. De acordo com Maria Adriana, esposa da vítima, o homem passou quase duas horas no chão a espera do Samu.

Por causa disso, ele foi transportado em uma maca improvisada feita de madeira e foi colocado em cima de um caminhão. Ele teve fraturas na clavícula e punho. O homem foi levado para o Hospital Ortrauma, o Trauminha de Mangabeira, de onde foi transferido para o Hospital de Trauma da Capital.

Sobre a demora no Samu, Erica Rivenna, coordenadora geral do Samu na Região Metropolitana de João Pessoa, disse que a demora no atendimento as vítimas de acidentes e casos clínicos na tarde dessa quinta foi porque cerca de 8 maca estavam retidas no Hospital de Trauma de João Pessoa o que inviabilizou o socorro aos feridos. O Samu da Capital atende cinco cidades e uma população de mais de um milhão de pessoas. A unidade conta com mais de ambulâncias para atender parte da região metropolitana.

Através da assessoria de imprensa, a diretora geral do Trauma-JP, Sabrina Bernardes, negou a retenção de macas pela unidade e disse que a permanência das macas no hospital ocorre apenas quando o paciente chega onde passa pelos primeiros atendimentos para averiguar o estado de saúde da pessoa. Após isso, a maca é devolvida para o Samu ou Corpo de  Bombeiros.

 

Portal do Litoral


Desenvolvido por Ricardo Alexandre