Branco Mendes consegue incluir municípios do Litoral Sul, além de Sapé, Coremas e Piancó no Programa ‘Tá na Mesa’ do Governo do Estado

10 maio 2021

Em recente reunião com o governador João Azevêdo, o deputado Branco Mendes solicitou a inclusão dos municípios do Litoral Sul da Paraíba: Alhandra, Caaporã, Conde, Pedras de Fogo e Pitimbu, além dos municípios de sua atuação, a exemplo de Sapé, Coremas e Piancó, no Programa de segurança alimentar ‘Tá na Mesa’ que vai fornecer 552.200 almoços por mês em 83 municípios ao preço de R$ 1,00

Lançado nesta segunda-feira (10) pelo governador João Azevêdo, no programa semanal ‘Conversa com o governador’, transmitido em cadeia estadual pela Rádio Tabajara, o programa conta com investimentos próprios do tesouro estadual que somam mais de R$ 4 milhões mensais.

Além de atender pessoas em situação de vulnerabilidade social, o ‘Tá na mesa’ irá fomentar economias locais, a partir do lançamento do edital de chamada pública para a contratação de restaurantes dos municípios contemplados para o fornecimento das refeições.

O deputado Branco Mendes agradeceu ao governador João Azevêdo por atender as necessidades das pessoas menos favorecidas desses municípios. “A humanidade do governador João Azevêdo atende exatamente a necessidade de cada região. Nesse momento, as pessoas necessitam garantir o alimento de cada dia, essa pandemia deixou muitos desempregados e muitas famílias serão beneficiadas a partir de agora com esse importante programa. Parabéns a João Azevêdo e toda sua equipe por pensar em quem realmente precisa”, disse Branco Mendes.

O governador João Azevêdo destacou a iniciativa da gestão estadual para garantir refeição de qualidade para as pessoas em situação de vulnerabilidade social. “Esse programa funcionará nos moldes dos Restaurantes Populares ao preço de R$ 1,00 e o estado assumirá a diferença do valor. A diferença será que não vamos construir Restaurantes Populares, mas vamos fazer um chamamento público para convocar restaurantes locais para fornecer essas refeições porque sabemos que esse segmento foi prejudicado por conta da pandemia”, explicou.