Prefeito se enrola ao tentar explicar gasto milionário com São João de Santa Luzia

27 mar 2024 - Destaque

Menos de seis meses depois de lamentar a queda do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), o prefeito do município de Santa Luzia anuncia shows com alto investimento e não consegue explicar o gasto milionário, durante entrevista ao programa Arapuan Verdade desta terça-feira (26). Em apenas quatro shows, a Prefeitura vai torrar mais de R$ 2 milhões, de acordo com o site da Prefeitura da cidade.

O prefeito José de Alexandre Araújo, mais conhecido como Zezé, afirmou que o evento será realizado em quatro dias. Ele ressalta que não é uma festa, mas sim a comemoração de um evento que acontece há 82 anos, e que é um orgulho para o povo de Santa Luzia, o São João, que é patrimônio histórico e cultural.

Ele destacou que Santa Luzia ensinou ao Brasil a fazer festividade junina. Ainda de acordo com o prefeito Zezé, toda cidade que hoje tem a festa, a exemplo de Campina Grande, Patos e tantas outras cidades como Taperoá, Bananeiras, fazem para comemorar uma festividade junina se espelhando no que Santa Luzia fez na década de 1940.

“Fazer uma grande festa é motivo de orgulho para Santa Luzia porque não fazemos só a festa. Fazemos assistência na saúde, educação, infraestrutura, pagamos bem e dentro do mês trabalhado aos nossos funcionários, pagamos as nossas contribuições previdenciárias”.

Questionado sobre o valor do investimento no São João, o prefeito disse que a expectativa seria gastar pouco mais de R$ 1 milhão, mesmo após a divulgação dos valores dos cachês das atrações. O prefeito disse que ainda não fechou o valor total dos gastos e garantiu que não há nenhum pedido de calamidade para o município.

“Temos a cultura, na nossa gestão, de fazer grandes eventos à altura da história e do patrimônio de Santa Luzia que é o São João. Não podemos fazer uma festa pequena. O povo pede uma festa grande e o retorno vem em investimento para a população em forma de aluguel de casa, investimento no comércio, geração de emprego e renda”.

Ele disse ainda que o investimento que o município e a Prefeitura estão fazendo “não é isso que se está vendo no site do Tribunal de Contas. Isso aí são os contratos que efetivamente serão pagos, mas estamos abrindo negociação com vários bancos, com Ministério do Turismo, com o governo do estado e com patrocinadores que vão nos ajudar a amenizar o investimento que será feito no São João”.

Privatização do São João

Sobre privatizar o São João para uma empresa privada, para que ela assuma os custos dos cachês, ele disse que a possibilidade já foi avaliada. “Nós já pensamos nisso, mas temos sentido dificuldade porque as empresas preferem trabalhar essa modalidade com as cidades maiores como Patos, Campina Grande, Bananeiras, porque têm uma rede hoteleira maior e vão ter um retorno maior”, pontuou.

Ele acrescentou que a festa tem sido nessa modalidade porque é dessa forma que a Prefeitura encontra a possibilidade de fazer uma festa da forma que Santa Luzia quer, precisa e merece, uma festa grande, com boas atrações que vão render dividendos para a população de Santa Luzia

“Quem está na capital não tem ideia o quanto isso gera de retorno para Santa Luzia, pessoas que alugam casa, que vão trabalhar, que vão vender mercadoria, que vão prestar serviço e têm um retorno que, muitas vezes, é a renda que vão ter para o resto do ano, e passam mais um ano esperando ter o São João para poder fazer o investimento”.

Zezé ressaltou que a cada real que é investido no pagamento do cachê de uma banda ou no São João com um todo volta em torno de três, quatro ou cinco vezes mais para Santa Luzia porque o comércio gira muito e, inclusive, as cidades circunvizinhas também ganham.

“É cultura de Santa Luzia fazer um grande evento, mas não deixamos de fazer um investimento para a saúde, educação, infraestrutura. Estamos com isso em dia”, assegurou.

Camarotes

O prefeito de Santa Luzia confirmou que há venda de camarotes para o evento. “A Prefeitura tem feito licitação, tanto é que o Tribunal de Contas já aprovou em outras edições. A Prefeitura abre um edital para licitação, a empresa que quer concorrer, se habilita. Ganhando, ela vai pagar um valor à Prefeitura pelo uso daquele espaço, vai instalar os camarotes e promover espaço para a área vip que, diferentemente de outros municípios”.

Ele disse que a empresa está pagando à Prefeitura para fazer o uso e é feito o depósito na conta da Prefeitura para amenizar os investimentos do São João. A empresa que ganhar a licitação tem a obrigação de vender os camarotes.

Zezé enfatizou que a licitação é feita para a venda do espaço. “Na hora que for licitado, nós vamos dizer para o público (o valor). Em 2023, foi arrecadado com esses espaços mais de R$ 100 mil”. Segundo ele, a expectativa deste ano é superar esse valor.

“A empresa que ganhar a licitação tem a obrigação de fazer uma boa prestação de serviço e vai abrir uma área vip em 50% da frente do palco. O cidadão que quiser ir para a área vip vai ter que pagar à empresa, mas o que não quiser pagar e não tiver condição financeira, vai estar lá na frente do palco do mesmo jeito com acesso gratuito. Faremos a maior e melhor edição de todos os tempos do São João de Santa Luzia”, prometeu.

Os gastos

Para o São João de Santa Luzia, os gastos anunciados ultrapassam R$ 2 milhões com apenas quatro atrações, segundo o site da Prefeitura da cidade. Só o cantor Wesley Safadão vai levar R$ 900 mil para tocar 1h20; Bell Marques, R$ 500 mil; Matheus e Kauan, 470 mil; Raí Saia Rodada, 550 mil.